4 4 5 6 7 8 9 10 11
Logotipo Queima 2014
4 4 5 6 7 8 9 10 11

Cartazes dos Eventos

  • Queima 2014
  • Atividades Académicas 2014
  • Discoteca 2014
  • Bilhetes 2014
  • CoolTrain CP 2014
  • STCP 2014

4 Domingo - 00H01

Queimódromo

The Bloody Beetroots

The Bloody Beetroots

If you've been monitoring and hopefully dancing your ass off to the ascent of electronic dance music over the last few years, you know the name Bloody Beetroots and its mastermind Sir Bob Cornelius Rifo have become synonymous with everything great about the genre. There’s the festival-highlight live and DJ shows, the tastefully hyperbolic tracks with their redlining builds and floor-rinsing drops, championed by the likes of Etienne De Crécy, Alex Gopher and Steve Aoki, which culminated in 2009’s Romborama. There’s even, as last year's gorgeous "Chronicles of a Fallen Love" featuring deadmau5 collaborator Greta Svabo Bech showed, the musical and emotional depth to step away from the dancefloor and into music history.

Todos os Detalhes

The Bloody Beetroots

The Bloody Beetroots

If you've been monitoring and hopefully dancing your ass off to the ascent of electronic dance music over the last few years, you know the name Bloody Beetroots and its mastermind Sir Bob Cornelius Rifo have become synonymous with everything great about the genre. There’s the festival-highlight live and DJ shows, the tastefully hyperbolic tracks with their redlining builds and floor-rinsing drops, championed by the likes of Etienne De Crécy, Alex Gopher and Steve Aoki, which culminated in 2009’s Romborama. There’s even, as last year's gorgeous "Chronicles of a Fallen Love" featuring deadmau5 collaborator Greta Svabo Bech showed, the musical and emotional depth to step away from the dancefloor and into music history.

Now with the new Bloody Beetroots album HIDE, Rifo, the former Italian garage punk prodigy with "1977" on his chest and the mask on his face, in his punkest effort yet, embraces contemporary music to the point of throttling it. Featuring collaborations with Paul McCartney, Penny Rimbaud of Crass, Tommy Lee, Peter Frampton, Chromeo’s P-Thugg, electronic producers TAI and Bart B More as well as very different soul sensations Sam Sparro and Theophilus London, HIDE shows Rifo re-envisioning BBR as a complete musical operating system spanning time, genres and, most of all, preconceptions. Especially, he says, about dance music.

Bloody Beetroots is about electronic contemporary music,” Rifo says. "My challenge this time is to give values and colors to contemporary music.”

In this sense, HIDE is nothing less than a categorical re-envisioning of electronic music for dancefloors, lifestyles and provocation - not always in that order.

“My intent is to collect cultural elements to fill what I see as a hole in the current generation’s sensibilities. I wanted to work with greats of the past to rediscover the pleasure of making music, of listening to it, of enjoying the process,” Rifo says. “History teaches us that the waiting and expectation are two allies to forge emotions and frustrations - for both the listener and for composer.”

There’s something as perfect as it is ambitious about four generations of rock legends in Paul and Peter, Penny and Tommy being here, along with P-Thugg, Sam Sparro and Theophilus’ various fingerprints of modern soul funk. Or having the elegiac “Chronicles of a Fallen Love” amid floor-burning tracks like the frequency firefight that is “Rocksteady,” the soaring “Albion,” and most of all, “Spank,” a phantasmagoric fairy-dusted freakout of powerdrill bass and ballroom blitzing which shows Rifo forming an unholy trinity with Germany’s TAI and Dutch producer Bart B More to deliver a jawdropping update of the classic BBR sound.

But just as perfect - and jawdropping - is the range and depth HIDE shows going outside the classic BBR sound to include and inflect, as he says, “electronic contemporary music,” to create, as Rifo terms it, “a transition between what has happened and what will happen.”

There’s the cool soul house bump of “All the Girls (Around the World)” featuring Theophilus London, the sunrise classic rock optimism of Peter Frampton singing “The Beat” through his trademark talkbox, the soapbox sermon of punk icon Penny Rimbaud proselytizing about “the new Jim Crow” of the racially imbalanced American prison system on “Furious,” even a hair metal disco experiment with Tommy Lee on “Raw,” replete with Lee’s cheeky commentary on “disco shit” matched only by Rifo’s ability to synthesize the synth sounds with crunching guitar more to Mr. Lee’s liking.

Perhaps the most ambitious track on HIDE, is the Paul McCartney/Youth from Killing Joke collaboration, “Out of Sight,” which is as much the album’s it’s signature as mission statement: an anthemic, awesomely orchestrated midtempo blues of a love song where the singer’s lust is matched only by his anguish.

Rifo explains the unlikely, if ultimately perfect, pairing:

“I was in the studio with Youth of Killing Joke and he asked me if I was looking for people whom I’d Iike to have on my record, and told him I had two names in mind: Penny Rimbaud of Crass and Paul McCartney. Because, I mean, you never know. It couldn’t hurt to ask. Youth actually works with Paul under the name Fireman doing electronic music, so he had the idea to have me remix of this track of their, ‘Nothing Too Much but Out Of Sight’ to see what Paul would think. Well, if you know me, you also know that if I do a remix, it will probably end up being basically a new song. So I recomposed all the harmony, redesigned Paul's melody with Melodyne, and then I went to the RAK studios in LONDON to replay all the instruments:

guitars, grand piano, bass guitar, drums. Then we sent it to Paul. He liked it, so I asked, ‘Do you think, is it possible to? re-record the vocals the way I changed them? Because it's going to sound even better.’ He agreed, and invited me to his studio, we did the session, and that became ‘Out Of Sight.’”

Beyond trackmaking and songwriting, he says, is the potential to span generations and genres. “I want to create a bridge between old and new generations in the Bloody Beetroots way. I want my fans to research who Paul McCartney is. And I want Paul McCartney fans to learn about what The Bloody Beetroots is. Let the floodgates open!”

As much as HIDE pushes the notion of what Rifo is capable of with Bloody Beetroots, to form “a transition between what has happened and what will happen,” it is the album’s overriding theme of a shared, common and, more often than not, sweaty, pulse-racing humanity that is it’s real accomplishment.

“With Bloody Beetroots, I’ve been lucky enough to spend the last six years of my life travelling around the world, and in that time I’ve learned to listen to something other than music: the human soul and the natural breath of the world. Technology has made for a lot more information, and a lot less real communication,” he says. “In the 1960s and 1970s people hit the streets to voice their opinion. Now, they do it in 140 characters or less. Having being born in the '70s, I've seen this change. There's a strong cultural shift and maybe even a human laziness. and as a result I believe a revolution, albeit an unconventional one, is needed to overcome it.”

HIDE is that humanity, that transition, that bridge, that stimulus, that revolution.

×
Queimódromo

Virar DaSquina

Virar DaSquina

Virar DaSquina

×
ver no Youtube

Um projeto jovem mas com vários concertos dados em palcos notáveis, os pequenos aspirantes a músicos vão avançando a passos pequenos e conquistando as palmas de todos os que os ouvem. Nascidos em 2010, os Virar DaSquina misturam vários estilos musicais, criando um género muito próprio que eles tanto ambicionavam, originando assim uma mistura de gostos de todos os membros da banda. Aliando teclas, vozes, bateria, guitarra e baixo estes jovens vão caminhando passo a passo no mundo da música de forma a cativar todos os curiosos e amantes de música. Com uma estrutura nova, mais madura e sóbria juntam-se assim Nuno Meneses (Teclas), Ana Rodrigues (Voz), João Cunha (Bateria), João Alves (Guitarra) e Mário Ribeiro (Baixo) continuando a perseguir os seus sonhos, e procurando a sorte ao Virar da Esquina.

Queimódromo

Atividades Académicas

Monumental Serenata 00h01

Local: Av. dos Aliados

Monumental Serenata

Monumental Serenata

×
ver no Youtube

Os acordes das guitarras e o fado entoado pelas vozes dos elementos dos Grupos de Fado da Academia do Porto, na Monumental Serenata, marcam o início dos festejos da semana da Queima das Fitas.

4 Domingo - 22H00

Queimódromo

Pedro Abrunhosa & Comité Caviar

Pedro Abrunhosa & Comité Caviar

Pedro Abrunhosa & Comité Caviar

×
ver no Youtube

"Para mim, um Disco é cada vez mais um Livro, uma narrativa contínua de histórias desencontradas que se reencontram na Música que escrevo, de personagens, por vezes atormentadas, outras felizes, de sentimentos de perda ou de conquista que acabam por ser comuns a muitos de nós. Falo de mim através das vozes de outros e transponho - me para os outros usando a minha própria voz. Ao longo de todo este tempo, diria quase desde que me conheço enquanto Músico, procurei melhorar a simplicidade daquilo que verdadeiramente me fascina: escrever Canções. O que aí vem é apenas isso. A minha Vida tornada palavra e harmonia. Se se encontrarem comigo neste trabalho, a minha tarefa estará cumprida e partirei para a estrada já com o próximo disco nas entranhas.”

Queimódromo

Miguel Araújo

Miguel Araújo

Miguel Araújo

×
ver no Youtube

Miguel Araújo é um dos artistas mais completos da nova geração da música portuguesa. Cantor, músico e compositor, deu-se a conhecer nos azeitonas, a banda portuense que aos poucos se foi afirmando como um dos mais interessantes fenómenos de culto do panorama nacional (Anda Comigo Ver os Aviões, Quem és Tu Miúda, Ray-Dee-Oh, etc).

Todos os Detalhes

Miguel Araújo

Miguel Araújo

Miguel Araújo é um dos artistas mais completos da nova geração da música portuguesa. Cantor, músico e compositor, deu-se a conhecer nos azeitonas, a banda portuense que aos poucos se foi afirmando como um dos mais interessantes fenómenos de culto do panorama nacional (Anda Comigo Ver os Aviões, Quem és Tu Miúda, Ray-Dee-Oh, etc).

Em Maio de 2011 estreou-se a solo com “Cinco dias e Meio” (Os Maridos das Outras, Fizz Limão, Capitão Fantástico). O single de estreia foi nomeado para “melhor canção do ano” nos prémios da Sociedade Portuguesa de Autores, nos Globos de Ouro e na gala da RTP dos melhores do ano. Individualmente, Miguel Araújo foi nomeado para “melhor intérprete individual” nos globos de Ouro e como “personalidade masculina do ano na categoria de música” na revista Lux. O álbum foi considerado os dos 10 melhores do ano na revista Blitz. “Capitão Fantástico” foi considerada uma das melhores do ano pela revista Blitz. Logo no ano do lançamento do disco de estreia, Miguel Araújo actuou em cerca de 40 espectáculos, onde se destacam o concerto de apresentação do disco na sala principal da Casa da Música, com lotação esgotada, participação em alguns festivais e uma actuação em Macau.

Paralelamente, participou, como cantor, no álbum “O Grande Medo do Pequeno Mundo”, de Samuel Úria. Compôs a banda sonora do monólogo “Como Desenhar Mulheres, Motas e Cavalos”, de Nuno Markl, que passou (sempre com casa cheia) pelos principais auditórios do país. Compôs para António Zambujo (“Reader’s Digest” e “O que é Feito Dela”) e Ana Moura (“E Tu Gostavas de Mim”)

Prepara-se agora para lançar o segundo disco de originais, com o selo Warner Music Portugal, cujo single de estreia, “Balada Astral”, arrecadou o número notável de 25.000 mil visualizações nas primeiras 24 horas e toca já nas maiores rádios nacionais, tornando-se um grande sucesso logo no dia do seu lançamento. “Crónicas da Cidade Grande”, o álbum, sairá na primavera de 2014 e inclui participações de António Zambujo, Marcelo Camelo e Inês Viterbo. Neste momento está já agendada uma grande digressão nacional de auditórios, festivais, festas académicas e concertos de Verão. Prevê-se também uma primeira digressão internacional para o final do ano.

×

Atividades Académicas

Queimódromo
MISSA DA BÊNÇÃO DAS PASTAS 11h01

Local: Av. dos Aliados

MISSA DA BÊNÇÃO DAS PASTAS

MISSA DA BÊNÇÃO DAS PASTAS

×
ver no Youtube

A Missa da Bênção das Pastas, celebrada pelo Bispo do Porto D. António Francisco dos Santos, é uma cerimónia religiosa durante a qual os estudantes que estão prestes a abandonar o ensino superior, pedem a Deus a bênção para uma nova etapa das vidas.

ECAP 21h01

Local: Aula Magna da Universidade Portucalense

ECAP

ECAP

×
ver no Youtube

Entrada gratuita

O Encontro de Coros da Academia do Porto reúne grupos que, para além de uma individualidade sonora e musical que lhes é própria, possuem reportórios variados. Tendo sempre por base uma boa sonoridade à qual se associa uma expressão musical reveladora da direção artística de quem os conduz, este espetáculo tem como principal objetivo fomentar e difundir o Canto Coral não só na academia mas também na cidade do Porto.

5 Segunda

Queimódromo

Alboroise

Alboroise

Alboroise

×
ver no Youtube

Alborosie regressa ao Porto no dia 5 de Maio para apresentar o novo disco "Sound The System", editado no final de 2013. O cantor italiano, que esta baseado na Jamaica há mais de 20 anos, iniciou a sua carreira com a banda Reggae National Tickets que teve um enorme sucesso em Italia, nos anos 90. A seguir decidiu instalar-se na Jamaica onde trabalhou em vários estúdios e começou a criar instrumentais para nomes como Sizzla, Beenie Man ou Capleton, entre muitos outros. Em 2008, seguiu-se o álbum de estreia "Soul Pirate" recheado de hits planetários como "Herbalist", "Kingston Town", "Rastafari Anthem" e muitos outros que fizeram dele uma das figuras de frente do reggae moderno. Desde então, Alborosie tornou-se numa presença regular em alguns dos maiores festivais nacionais e promete fazer a festa nesta sua estreia na Queima das Fitas do Porto.

Queimódromo

Souls Of Fire

Souls Of Fire

Souls Of Fire

×
ver no Youtube

A história dos Souls of Fire começou algures entre as praias, as viagens e todas as influências que davam à costa, os vários sonhos e ideias  foram ganhando forma e em tom de brincadeira formou-se uma banda, os Souls of Fire. Por volta do ano 2000, com os primeiros encontros, a vontade de dar maior voz ao que todos tínhamos em comum, o reggae, apareceram as primeiras canções originais. Desde o início, até ao presente, os anos foram passando, assim como vários membros, amigos, lugares e muitas palavras que se traduziram em aprendizagem. Todos deixaram a sua marca e contributo, e assim vai-se construindo um caminho com base na partilha de experiências, sentimentos, e claro de muita música.

Com três álbuns editados: "Comunicar" (2006), "Subentender" (2009) e "Pontas Soltas" (2012), os Souls of Fire trazem na bagagem muitos concertos por todo o país e a felicidade de inúmeros encontros com as suas maiores influências nacionais e internacionais.

Hoje, os Souls of Fire mantêm a chama acesa com a fé e a persistência de que todos os dias são bons para escrever um novo capítulo.

"O que faz a estrada andar, é o sonho, enquanto sonharmos a estrada permanecerá viva." 

Atividades Académicas

Dia da Beneficência

Local: Porto

Dia da Beneficência

Dia da Beneficência

×
ver no Youtube

O Dia da Beneficência tem como principal objetivo a recolha de fundos que irão reverter a favor de uma ou mais instituições de solidariedade social da cidade. A recolha é realizada nas ruas da Baixa do Porto por estudantes que procedem à venda de miniaturas de pastas académicas em cartão, com as fitas dos diferentes cursos e versos alusivos a este. Assim, esta iniciativa promove e fortalece a solidariedade entre a Academia e o Porto.

Este ano a instituição que beneficiará do peditório será a Liga Portuguesa contra o Cancro

Concerto Promenade

Local: Coliseu do Porto
Preço: 4.00

CONCERTO PROMENADE, FITA e CHÁ DANÇANTE, 30.00
CONCERTO PROMENADE, FITA e BAILE DE GALA, 46.00

Concerto Promenade

Concerto Promenade

×
ver no Youtube

O Concerto de Promenade consiste num concerto de música erudita, realizada em parceria com uma Orquestra, e conta com a participação de vários estudantes universitários com formação musical. Este projeto pretende providenciar aos estudantes e à cidade um ambiente em que possam usufruir de algumas das grandes peças do reportório clássico, romântico e contemporâneo.

6 Terça

Queimódromo

Quim Barreiros

Quim Barreiros

Quim Barreiros

×
ver no Youtube

Já apelidado de "veterano", este artista da música popular marca, mais uma vez, presença na festa dos estudantes do Porto. Quim Barreiros promete não falhar na animação desta noite do Cortejo da Academia do Porto.

Queimódromo

HI-FI

HI-FI

HI-FI

×
ver no Youtube

Este grupo musical, originário de Viseu, tem presença regular nos mais animados bailes tipicamente portugueses. Com os seus covers mais conhecidos, prometem ser um bom aperitivo para a atuação de Quim Barreiros, no dia do cortejo académico.

Atividades Académicas

Cortejo Académico 14h01

Local: Baixa do Porto

Cortejo Académico

Cortejo Académico

×
ver no Youtube

No cortejo académico, que decorre durante toda a tarde de terça-feira, os estudantes universitários percorrem as ruas da cidade a pé ou em carros alegóricos entoando cânticos e dotando a invicta de cor.

7 Quarta

Noite Moche Queimódromo

Nicky Romero

Nicky Romero

Nicky Romero

×
ver no Youtube

“The main aim is to up my game at every possible turn without compromise.” – Nicky Romero

“The word wunderkind was pretty much invented for the likes of 24-year-old producer Nicky Romero.” – DJMag

Strike up a conversation about the current state of EDM and it won’t be long before Nicky Romero gets an emphatic mention. The breakthrough star with the bulletproof work ethic is credited as a driving force behind the fantastic health the scene currently enjoys. In every aspect of his life – as DJ, producer and label head – he is a tireless advocate for his art. Couple this with his distinctive signature sound and compelling output, and it is no surprise that he exploded into the DJ Mag Top 100 chart at number 17 in 2012, the highest new entry that year, and rose up to number 7 in 2013.

Nicky Romero, real name Nick Rotteveel, was born January 6th 1989 in the small city of Amerongen, Holland. A keen interest in the drums and an early career spinning house and r&b quickly evolved into an unbridled passion for music production. Early releases, picked up by boutique outfit Once Records, caught the attention of some of the more established labels: Spinnin’, Fly Eye, Toolroom and Flamingo Recordings.

As he worked on honing his sound – a seductive blend of progressive house tinged with electro and acid – he sent a bootleg of David Guetta smash “When Love Takes Over” out into the world. The track’s online success piqued the interest of Guetta himself and in that moment Romero found his mentor and champion. They have since collaborated on multiple projects including “Metropolis” and “Wild One Two,” and in the summer of 2012 Nicky Romero accepted a residency at David Guetta’s infamous FMIF club night at Pacha/Ushuaia Ibiza.

Today, Nicky Romero is paying it forward with his Protocol brand that is quickly establishing itself as a leading dance music platform - a go-to outlet for forward-thinking dance music. Championing up and coming artists, like Don Diablo, John Dahlback, Vicetone, Kryder, Michael Calfan and Merk & Kremont, with his record label, club night and radio show, Romero extends his influence to help develop the next generation of artists, while also supporting more established acts such as Calvin Harris, R3hab, Nervo, Krewella and Bassjackers, amongst others. With the label’s releases consistently flowing in the Beatport top 10, it is clear that its impact is being heard around the world. Furthermore, Protocol Radio, a weekly show syndicated to more than 60 radio stations on FM, receives over 40 million listeners every week and it continues to grow at a rapid rate.

Todos os Detalhes

Nicky Romero

Nicky Romero

“The main aim is to up my game at every possible turn without compromise.” – Nicky Romero

“The word wunderkind was pretty much invented for the likes of 24-year-old producer Nicky Romero.” – DJMag

Strike up a conversation about the current state of EDM and it won’t be long before Nicky Romero gets an emphatic mention. The breakthrough star with the bulletproof work ethic is credited as a driving force behind the fantastic health the scene currently enjoys. In every aspect of his life – as DJ, producer and label head – he is a tireless advocate for his art. Couple this with his distinctive signature sound and compelling output, and it is no surprise that he exploded into the DJ Mag Top 100 chart at number 17 in 2012, the highest new entry that year, and rose up to number 7 in 2013.

Nicky Romero, real name Nick Rotteveel, was born January 6th 1989 in the small city of Amerongen, Holland. A keen interest in the drums and an early career spinning house and r&b quickly evolved into an unbridled passion for music production. Early releases, picked up by boutique outfit Once Records, caught the attention of some of the more established labels: Spinnin’, Fly Eye, Toolroom and Flamingo Recordings.

As he worked on honing his sound – a seductive blend of progressive house tinged with electro and acid – he sent a bootleg of David Guetta smash “When Love Takes Over” out into the world. The track’s online success piqued the interest of Guetta himself and in that moment Romero found his mentor and champion. They have since collaborated on multiple projects including “Metropolis” and “Wild One Two,” and in the summer of 2012 Nicky Romero accepted a residency at David Guetta’s infamous FMIF club night at Pacha/Ushuaia Ibiza.

Today, Nicky Romero is paying it forward with his Protocol brand that is quickly establishing itself as a leading dance music platform - a go-to outlet for forward-thinking dance music. Championing up and coming artists, like Don Diablo, John Dahlback, Vicetone, Kryder, Michael Calfan and Merk & Kremont, with his record label, club night and radio show, Romero extends his influence to help develop the next generation of artists, while also supporting more established acts such as Calvin Harris, R3hab, Nervo, Krewella and Bassjackers, amongst others. With the label’s releases consistently flowing in the Beatport top 10, it is clear that its impact is being heard around the world. Furthermore, Protocol Radio, a weekly show syndicated to more than 60 radio stations on FM, receives over 40 million listeners every week and it continues to grow at a rapid rate.

Recent studio output includes “S.O.T.U.,” a single released on Steve Angello’s label Size Records, the worldwide hit, “Legacy” with Krewella, his solo single, “Symphonica,” his UK #1 “I Could Be The One” with Avicii, and remixes for Zedd, Calvin Harris, and more. Additionally, Romero has produced Rihanna’s track, “Right Now,” together with David Guetta, as well as two tracks for Britney Spears. Whether it’s his own original song, a collaboration, or an inventive remix, he consistently receives massive support from a veritable who’s who of dance music aristocracy.

Romero is a force to be reckoned with not only as a producer but also as a DJ. Behind the decks his tenacity and ability to work a room was rewarded as he rounded out an intense international touring schedule including his Nothing Toulouse North American headline tour, his residency at The Light Las Vegas, Coachella, Sensation White, and mainstage appearances at Ultra Music Festival, Electric Daisy Carnival Las Vegas, Tomorrowland, and countless others. One of his stand-out performances of 2013 was at Tomorrowworld where he was the first DJ to play equipped with Google Glass. On top of his own gigs, he produced Protocol Recordings label nights in Miami and Amsterdam that were both a smashing success.

Building upon his accolades, such as his MTV EMA nomination for Best Dutch Act, and prosperity in 2013, Nicky Romero continues to make his indelible mark on the music industry that can be felt in the hearts of his devoted fans. Pushing relentlessly forward with the wind at his back and a new professional studio, he will begin the next era of his career with a debut album coming in 2014. With these plans and much more to come, the Nicky Romero brand is expected to grow and mature, becoming an increasingly influential and venerated force in the international music arena.

×
Queimódromo

Club Bangers

Club Bangers

John Christian

×
ver no Youtube

Hugo Mota e Higino Silva são os seus verdadeiros nomes, Hugo Mota nascido a 14 de Outubro e Higino Silva a 26 de janeiro de 1992. Estes dois jovens sentiram desde cedo uma grande paixão pelo house music, começaram por trocar musicas e pequenas opiniões um com o outro até que surge a ideia e dão início a um projecto chamado ''ClubBangers'' uma dupla constituída por Higino Silva (8IN) & Hugo Mota. Conhecidos por um estilo de musica muito próprio e por uma interação com o publico única, estes têm um inicio fantástico começando a tocar em festas da vida académica e em grandes casas e eventos do norte. Em 2011 iniciam-se na produção fazendo bootlegs e edits, tendo alguns destes passado em rádios nacionais, e é em 2012 que produzem o primeiro original chamado ''BANG'', o qual teve uma critica fantástica do publico em geral e inclusive de djs/produtores internacionais, no inicio de 2013 aparecem com "Mindf**k", um tema que juntamente com ''BANG'' é lançado pela editora internacional MOON RECORDS, lançamentos esses que prometem consolidar esta dupla no mundo da produção devido aos supports que ambos os temas têm recebido. Têm neste momento muitos outros projectos no ramo da produção a serem desenvolvidos e concluídos, tanto individuais como collabs, o que indica novidades para breve. Quem já presenciou as actuações destes dois jovens sabe que são uma dupla que promete.

Queimódromo

John Christian

John Christian

×
John Christian ver no Youtube

John Christian is a DJ, producer, and recording studio owner based in the Netherlands. A familiar name within the industry thanks to his high-profile production work, he is excited to be pushing into new territory now, shifting focus towards his own EDM productions. “Now,” he says, “it’s time for me to do something for myself.”A student at the Dutch Academy of Music, he honed his production skills fast. A first top 40 smash quickly led to a string of production engagements with the crème de la crème of Dutch music talent. He currently has over 1800 releases under his belt including 380 hit records and despite his young age enjoys a reputation as one of the most successful producers in Dutch music history.His studio space, White Villa in Ede, is the stuff of legend. A collector of audio equipment since he has just twelve years old, his passion for analogue translates into one seriously high-end recording complex. John Christian’s neighbour in the space, Nicky Romero, would certainly vouch for that. And it is with Nicky Romero that his foray into dance music is beginning. Romero championed his first release, a remix of Stevie Wonder classic Superstition, on his radio show. John Christian then went on to remix I Could Be The One, Romero’s wildly successful collaboration with Avicii. A three-way collaboration between Romero, John Christian and Nilson called Still The Same Man will also be released this year on Toolroom Records, as will a remix of Hampenberg & Alexander Brown ft. Busta Rhymes and Shonie – You’re A Star. With such exciting projects lined up and the support of some of house music’s most influential players, a whirlwind year seems inevitable. Those inside the Netherlands might already know the name of John Christian, but this might just be the year he conquers the world too.

Atividades Académicas

XXVII FITA 20h01

Local: Coliseu do Porto
Preço: 6,50 e 7,50

CONCERTO PROMENADE, FITA e CHÁ DANÇANTE, 30.00
CONCERTO PROMENADE, FITA e BAILE DE GALA, 46.00

XXVII FITA ver no Youtube

XXVII FITA

×

Festival Ibérico de Tunas Académicas: O FITA proporciona, para além do espetáculo, um ambiente de convívio entre Tunas, estudantes, finalistas e entusiastas da cidade do Porto.Inserido no programa da Queima das Fitas do Porto, o FITA afirmou-se nos últimos anos como um dos maiores e mais enérgicos Festivais de Tunas do país

8 Quinta

Super Bock Queimódromo

XUTOS E PONTAPÉS

XUTOS E PONTAPÉS

Xutos & Pontapés são o emblema do que significa rock & roll em português, por portugueses, para portugueses. Donos de um acervo de clássicos que faria muitas bandas roerem-se de inveja. Verdadeiros “animais de palco” que vivem para a festa dos concertos que cimentam a sua ligação indestrutível com um público sempre presente à chamada, braços cruzados em X a celebrar a maior longevidade de uma carreira rock neste cantinho à beira-mar plantado. Duas guitarras a abrir, uma bateria a bombar, o baixo a marcar a pulsação, 1-2-3-4, três acordes básicos e a correria desenfreada do cavalo à solta.

Há mais de 3 décadas que é assim e vai continuar a sê-lo enquanto Tim, Zé Pedro, Kalú, João Cabeleira e Gui continuarem a acreditar na força do rock 'n' roll, na energia de estar em palco e a querer partilhar estas canções com o público que fez delas hinos. Os Xutos continuam a ser a locomotiva rock ’n’ roll que arrasta multidões; gerações inteiras, pais e filhos, juntos a celebrar canções que já fazem parte da nossa história, da nossa vida.

Queimódromo

FITA COLA

FITA COLA

FITA COLA

×
ver no Youtube

O projecto Fitacola nasce em Coimbra no ano de 2003, com base numa ligação entre amigos envolvidos no mesmo panorama musical. Diogo e Xico, Besugo e Libelinha para o baixo, começam a criar e dar os primeiros passos. O interesse pela música e a vontade de tocar começam desde logo a fazer-se sentir nos primeiros concertos, um passo fulcral para criar aquela que seria a sinergia perfeita entre a banda e o público. A banda começa a tocar em pequenos palcos de Norte a Sul do país e a levar a música mais a sério o que, em 2005, resulta na gravação do primeiro EP “Rebobina e pensa!”. A musicalidade é concretizada por um som jovem e enérgico, com um toque de rebeldia onde as letras, cantadas em português, refectem sentimentos de inconformismo universal. Com este EP a banda tem uma imediata aceitação projectando-se assim para palcos maiores de onde se destacam as actuações na Recepção ao Caloiro da Covilhã, em 2005, e na Queima das Fitas de Coimbra e na Semana do Enterro em Aveiro, em 2006. No ano seguinte os Fitacola juntam-se à agência Xuxa Jurássica com a qual trabalham até 2011. Depois da passagem por diversos palcos maiores a banda lança o seu primeiro álbum de longa duração.

Todos os Detalhes

FITA COLA

FITA COLA

O projecto Fitacola nasce em Coimbra no ano de 2003, com base numa ligação entre amigos envolvidos no mesmo panorama musical. Diogo e Xico, Besugo e Libelinha para o baixo, começam a criar e dar os primeiros passos. O interesse pela música e a vontade de tocar começam desde logo a fazer-se sentir nos primeiros concertos, um passo fulcral para criar aquela que seria a sinergia perfeita entre a banda e o público. A banda começa a tocar em pequenos palcos de Norte a Sul do país e a levar a música mais a sério o que, em 2005, resulta na gravação do primeiro EP “Rebobina e pensa!”. A musicalidade é concretizada por um som jovem e enérgico, com um toque de rebeldia onde as letras, cantadas em português, refectem sentimentos de inconformismo universal. Com este EP a banda tem uma imediata aceitação projectando-se assim para palcos maiores de onde se destacam as actuações na Recepção ao Caloiro da Covilhã, em 2005, e na Queima das Fitas de Coimbra e na Semana do Enterro em Aveiro, em 2006. No ano seguinte os Fitacola juntam-se à agência Xuxa Jurássica com a qual trabalham até 2011. Depois da passagem por diversos palcos maiores a banda lança o seu primeiro álbum de longa duração. Intitulado “Mundo ideal”, o álbum é gravado e produzido por Miguel Marques nos Generator Studios, e masterizado nos Tailor Maid Studios, Suécia. Mensagens de positivismo, por vezes enquadradas em situações de vida, eram então cantadas directamente para um mundo a caminho da destruição, mostrando aos jovens aquilo que poderiam fazer para marcar a diferença e agir contra uma maré de problemas. Ainda no fnal deste ano, a formação da banda, que se vinha então mantendo, sofre uma alteração com Pedro Pinho (ex-White Lie) a substituir Libelinha no baixo. Novos concertos surgem e aquela que era a sinergia inicial continuava a ditar o caminho da banda com passos cada vez maiores. Os Fitacola entram numa nova fase, tendo já partilhado o palco com algumas das suas bandas de eleição de onde se destacam os Strike Anywhere, Less Than Jake, Tara Perdida ou Wilhelm Scream, entre outros concertos importantes como o Festival dos Estudantes do Secundário em Gouveia ou a Vans Of The Wall Music Night, em Lisboa. O nome dos Fitacola chega mesmo à MTV, onde o video para a música “Sonho Isolado” chega ao 13o lugar da “Hitlist Portugal”. Parte do ano de 2009 e 2010 é dedicado à preparação de novo material e culmina com a gravação e lançamento de um novo EP, “Outros Dias” inserido na iniciativa Optimus Discos, com o apoio da Antena 3, e no segundo álbum de longa duração da banda de nome “Caminhos Secretos”. Gravados e produzidos mais uma vez no Generator Studio sob a batuta de Miguel Marques, e masterizados nos West West Side Studios, em Nova Iorque, por Alan Douches (Comeback Kid, Stike Anywhere, Sick of it All, H2O, Misfts, Fall Out Boy) estes registos convidam os jovens a um novo nível de maturidade e maneira de estar perante esta rotina repleta de emoções, ora boas ora más, que nos são impostas pela sociedade em que vivemos. Estas gravações contam com a participação de Kalú, baterista da banda portuguesa “Xutos e Pontapés” na cover da música “Cai Neve em Nova York” de José Cid, e com a participação de Fernando Badauí, vocalista de uma das maiores bandas de Punk-Rock do Brasil , os “Cpm-22”, na música “Outros Dias”.Recebido com uma excelente crítica por parte dos fans e média, estes lançamentos abrem portas para grandes concertos, primeiro com a banda Rise Against em 2010 no Coliseu dos Recreios, e depois com a banda Sum 41 em 2011 no Coliseu dos Recreios e no HardClub no Porto. A tour de lançamento passa também pelo Porto (HardClub), Coimbra (States Club), Lisboa (Santiago Alquimista), Faro (Arcadia Bar) e Portimão (Marginália Bar), bem como pela presença em diversas Fnac, para apresentação do concerto num formato acústico. A banda grava ainda o vídeo da música “Outros Dias”, que contou com milhares de “plays” no youtube no canal ofcial da Xuxa Jurássica. Os Fitacola partilharam ainda o palco nesse mesmo ano com bandas como Strung Out, Mad Caddies e Anti-Flag. O ano de 2011 marca também a presença nas sessões “3 Pistas” do programa “Portugália” da Antena 3, juntando-se assim a participação dos Fitacola a outras participações de grandes actos como os Clã, Linda Martini, Sérgio Godinho, Os Pontos Negros, Mundo Cão, Mazgani entre muitos outros.

×

Atividades Académicas

SARAU CULTURAL 21h01

Local: Teatro Sá da Bandeira
Entrada gratuita

SARAU CULTURAL

SARAU CULTURAL

×
ver no Youtube

Da música ao teatro, da dança à comédia, o Sarau Cultural é um evento integrante das ati- vidades culturais realizadas na Queima das Fitas, um espaço onde os mais diferentes gru- pos académicos constituídos por estudantes do Porto podem apresentar os seus talentos. O Sarau Cultural mantem vivas algumas das tradições portuguesas e académicas acres- centando diversidade cultural à cidade.

9 Sexta

Queimódromo Queima 2014

Marcelo D2

Marcelo D2

Marcelo D2

×
ver no Youtube

Marcelo D2, nascido e criado nos subúrbios cariocas, frequentador da Lapa, começou sua vida trabalhando de porteiro a office boy, até que conheceu seu grande amigo Skunk, responsável pela criação de uma das bandas mais polêmicas e de sucesso do Brasil, o Planet Hemp, firmando sua ideologia, conquistando discos de platina, com rock, skate, filosofia das ruas e discurso afiado. O carisma singular, a ginga e as rimas irreverentes fizeram dele uma das figuras mais polêmicas de sua geração. Responsável pela reformulação do rock nacional ao experimentar misturas entre rap e samba; suas letras possuem impacto, idealismo e muita energia para gastar no caminho. Começou sua carreira solo em 1998 para falar de suas ideias musicais e pessoais.

Todos os Detalhes

Marcelo D2

Marcelo D2

Marcelo D2, nascido e criado nos subúrbios cariocas, frequentador da Lapa, começou sua vida trabalhando de porteiro a office boy, até que conheceu seu grande amigo Skunk, responsável pela criação de uma das bandas mais polêmicas e de sucesso do Brasil, o Planet Hemp, firmando sua ideologia, conquistando discos de platina, com rock, skate, filosofia das ruas e discurso afiado. O carisma singular, a ginga e as rimas irreverentes fizeram dele uma das figuras mais polêmicas de sua geração. Responsável pela reformulação do rock nacional ao experimentar misturas entre rap e samba; suas letras possuem impacto, idealismo e muita energia para gastar no caminho. Começou sua carreira solo em 1998 para falar de suas ideias musicais e pessoais.

Olhou para sua enorme coleção de vinis e ouviu a nata de suas influências. Deu o pontapé inicial inaugurando uma sonoridade toda própria e sua com o disco “Eu tiro é onda”. Todo natural, relax, a cara do Marcelo do Andaraí. E aí, beat e batucada se encontram nas rimas de seu filho prodígio, Estephan. Vieram então os sucessos de “À procura da Batida Perfeita”, com o título auto-explicativo, e Acústico MTV. Em ambos D2 experimentou scratches e percussão. Seu disco teve lançamento na Europa, Estados Unidos e Ásia e por causa dele D2 fez cinco turnês na Europa se apresentando nos maioires festivais do continente, como o Womex, Montreux, Rodkilde e Reading, e em casas de show tradicionais como o Cite de La Musique (Paris). Conquistou todos os prêmios que concorreu, incluisive como melhor letrista de 2004 pela Academia Brasileira de Letras. Em seu terceiro disco solo, D2 trouxe músicas com a sua cara nas 15 faixas de “Meu Samba é Assim”. Durante muitos meses, D2 recebeu uma quantidade enorme de bases de diferentes DJs de todo o país. Segundo as palavras dele mesmo “O grande diferencial desse disco é poque depois que eu ouvi mais de cem músicas, eu escolhi essas quinze e ainda ficou muita coisa boa de fora que ainda pode vir em próximo disco ou remix”. “Esse disco é muito mais autobiográfico do que o “À Procura”. As letras são muito mais como “Eu Tiro é Onda”, eu falo mais de mim e tal. O “Eu Tiro é Onda” é na primeira pessoa e esse também, “Meu Samba é Assim”. No “À Procura” eu estava falando de música, a coisa toda ali. Esse já é mais uma autobiografia mesmo. Todo clássico do rap vem na primeira pessoa”. E em 2008, Marcelo D2 veio com o seguinte recado: É hora de se levantar, se mexer, se coçar, parceiro! No seu quarto disco solo, A Arte do Barulho, D2 veio estourando as caixas com sua já conhecida mistura do hip hop com samba, acrescentado ao DNA do Planet Hemp, com mais zoeira, mais esporro, mais rock ‘n’ roll. O samba continua vivo ali, no seu “Desabafo”, por exemplo. E no meio da acidez do discurso de um “Fala Sério”, a doçura de “Ela Disse”. Marcelo não está só nessa caminhada. Ele conta com Seu Jorge, Aori, Roberta Sá, Thalma de Freitas, Zuzuca Poderosa, Mariana Aydar, Marcos Valle e a banda Cabeza de Panda, além da parceria de pai pra filho com seu moleque Stephan. Coerente e paradoxal, D2 gosta do luxo e das coisas simples, circula no morro e no asfalto, na zona sul e na zona norte, não foge da briga mas também quer sossego. D2 é da paz e não da pasmaceira.

×
Queimódromo Queima 2014

Mind da Gap

Mind da Gap

A carreira dos Mind da Gap é um caso raro de persistência e sucesso.

Desde o seu nascimento em 1993, ainda como Da Wreckas, a banda não parou nunca de crescer, sem nunca ter deixado de ser fiel aos seus princípios, evitando os caminhos mais fáceis e as mais vãs tentações.

Foi sempre o amor ao Hip Hop que os moveu, e o acreditar que havia espaço para a afirmação do género entre nós que determinou a forma decidida como estruturaram a sua carreira

Atividades Académicas

BAILE DE GALA

Local: Quinta do Castelo, Águas Santas
Preço: 40.00 Venda na FAP

CONCERTO PROMENADE, FITA e BAILE DE GALA, 46.00

BAILE DE GALA

BAILE DE GALA

×
ver no Youtube

O agora denominado Baile de Gala surge em 1933 com o nome de Baile da Queima ou das Faculdades, tendo-se realizado pela primeira vez em Coimbra. O Baile de Gala da Queima das Fitas do Porto representa, para vários es- tudantes, o final da vida académica.

10 Sábado

Queimódromo Queima 2014

Clã

Clã

Clã

×
ver no Youtube

Os Clã formam-se em Novembro de 1992 com Hélder Gonçalves (principal compositor, arranjador e director musical) a convidar Miguel Ferreira, Pedro Biscaia, Pedro Rito, Fernando Gonçalves e Manuela Azevedo para se juntarem a ele neste projecto. Depois de um ano de ensaios (1993) e outro de apresentações ao vivo (1994), os Clã celebram um contrato discográfico com a multinacional EMI–Valentim de Carvalho em 1995, iniciando as gravações do seu primeiro álbum de originais. “LusoQualquerCoisa”, produzido por Mário Barreiros e Carlos Tê (também responsável por duas letras e co-autorias de outras letras com Hélder Gonçalves), foi editado a 14 de Fevereiro de 1996. Aclamado pela crítica, e com forte presença nas rádios nacionais, este primeiro trabalho impõe os Clã como uma das mais fortes revelações da música portuguesa emergente. Nesse ano foram ainda nomeados para os Prémios BLITZ como Melhor Banda Revelação. Em Abril de 1997, apresentam no auditório da Antena 3 um espectáculo especial, constituído por versões alternativas das suas canções, onde contam com a participação da cantora Maria João na interpretação de uma versão do tema “Pois É”. Esta canção e a versão de “Não Vás” foram incluídas na colectânea “Ao Vivo na Ant3na”. “Kazoo”, o 2º álbum dos Clã, foi editado a 15 de Setembro de 1997, dando origem a uma tournée de mais de dois anos, com mais de cem espectáculos por todo o país, com direito de passagem por Macau e Brasil.

Queimódromo Queima 2014

Linda Martini

Linda Martini

Linda Martini

×
ver no Youtube

Os Linda Martini nasceram em 2003 e são uma banda de rock. Da sua formação actual fazem parte 4 dos seus 5 membros fundadores – André Henriques, Cláudia Guerreiro, Hélio Morais e Pedro Geraldes.Desde a edição do primeiro EP, em Janeiro de 2006, que a banda tem sido bastante acarinhada, quer pelo público, quer pela imprensa musical e promotores. Prova disso mesmo, são as várias distinções de “disco do ano” para os leitores da Blitz, a presença e espaço de antena constantes nos principais veículos de comunicação e a presença assídua nos festivais de grande dimensão e queimas das fitas.

Em 2006, o single “Amor Combate” foi considerado o single do ano pelo Henrique Amaro da Antena 3 e, no mesmo ano, o disco de estreia – “Olhos de Mongol” - é distinguido como “disco do ano” para os leitores da revista Blitz.

Em 2008 a banda edita um EP em vinil, exclusivamente, e esse mesmo disco é considerado o “segundo disco do ano” para os leitores da revista Blitz.

2009 é ano de reedição do álbum de estreia – “Olhos de Mongol” - em conjunto com o primeiro EP – “Linda Martini” -, ambos esgotados há muito. É também o ano em que a banda é convidada a fazer um disco gravado ao vivo, pela Optimus Discos, até hoje esgotado e um dos discos com mais downloads do ciclo de edições desta nova editora. Em 2010 é editado o segundo longa duração – “Casa Ocupada” - , disco que eleva a banda para um outro patamar, arrancando nova distinção de “disco do ano” para os leitores da Blitz e merecendo os mais rasgados elogios das pessoas do meio, como Pedro Ramos (Radar), Henrique Amaro (Antena 3) e Zé Pedro (Xutos & Pontapés), a título de exemplo. No ano em que a banda comemorou 10 anos, editou o seu terceiro longa duraçãoo – “Turbo Lento” -, pela Universal Music Portugal, disco que foi considerado “disco do ano” para os leitores da Blitz. Foi este mesmo disco que levou a banda a ser capa do Ípsilon e editora convidada da revista Blitz. Nos concertos de apresentação, a banda encheu a sala 1 do Hard Club, no Porto, e a sala tejo da MEO Arena, em Lisboa. O disco entrou directamente para número 2 da tabela de discos mais vendidos da AFP e chegou a número 1 no iTunes e no Spotify, em Portugal.

Atividades Académicas

Queima 2014 - Atividades Académicas
RALLY PAPER

Local: Grande Porto
Preço: 6.50 por viatura 3.50 por participante

RALLY PAPER

RALLY PAPER

×
ver no Youtube

Os carros, as perguntas de observação e de cultura geral, as provas técnicas, as provas de regularidade, as fotografia e outras variadas tarefas fazem do Rally Paper uma atividade recreativa que, para além do convívio que proporciona, promove junto dos estudantes o património da cidade.
Regulamento RALLY PAPER

Queima 2014 - Atividades Académicas
CHÁ DANÇANTE

Local: Quinta do Castelo, Águas Santas
Preço: 30.00 Venda na FAP

CHÁ DANÇANTE

CHÁ DANÇANTE

×
ver no Youtube

O Chá Dançante, evento histórico e tradicional, é, prioritariamente, destinado aos estudantes inscritos no penúltimo ano do curso. O seu extenso programa, desde o chá até a ceia, faz com que esta atividade se inicie por volta das 17h e termine por volta das 2h da madrugada.

CONCERTO PROMENADE, FITA e CHÁ DANÇANTE, 30.00

11 Domingo

Queima 2014 - Atividades Académicas

Atividades Académicas

GARRAIADA
GARRAIADA

Local: Praça de Touros da Póvoa do Varzim
Preço: 5.50 entrada e transporte; 3.50 entrada

Para terminar a grande semana da Queima das Fitas do Porto, a Praça de Touros da Póvoa do Varzim acolhe, mais uma vez, a Garraiada. No último dia da Queima das Fitas, tudo se reúne: os estudantes e os touros, as claques e a animação, tudo vai permitir que esta tarde de festa seja para sempre recordada, mantendo a tradição a que vimos sendo habituados ao longo dos anos. Este é o melhor sítio para queimar as últimas energias antes de voltar às aulas.

Queimódromo

Barraquinas 2014
P000 TEUP
P001 Tasca do urso
P002 Suburbios Grab
P003 Hakona Pachacha
P004 Skyfall
P005 Os Gordos
P006 Grande Pinokada
P007 Força do Pistão
P008 Chapa #5
P009 CUCA’RALHO
P010 PONTO G
P011 Trio Piu
P012 M2Students
P013 Barraquinha AEESTGF
P014 ESTSPUS Barracus Academicus
P015 Biote’mel
P016 O Pousada
P017 Mastru’Bar
P018 eCorocopos
P019 AE ESEP
P020 CHOKA’KI
P021 AE Esap
P022 Whiskritorio
P023 Tas c’o javardo
P024 Bico d’Obra
P025 Dancing Beer
P026 Boda
P027 Challenge Accepted
P028 DestroikaM’isto
P029 Coyote
P030 AEFDUCP
P031 ISCASPUS BARRACUS
P032 Barraca Piriguete
P033 BAR MAMAS
P034 Psycadhelics
P035 Tira a mão da minha viga
P036 Hard Shot – IPAM
P037 TAFEP
P038 E agora?
P039 3 SOME
P040 Relaxa que Encaixa
P041 Sant’Adega
P042 ICS – Católica
P043 Sei o Que Fizeste Na Queima Passada
P044 Caipicoma
P045 Palco dos Deuses
P046 À Dentada
P047 Cabaret da Queima
P048 ISSSPONJA-TE AQUI
P049 Barraca do Tio
P050 Reino de Deus
P051 Metal e Bio
P052 ERASMUS
P053 A tasca da Sapatilha
P054 F.A.N.F.A.R.R.A. de Eletro
P055 Lambe Q’é fruta
P056 Até à destilação
P057 MOTIVATORS
P058 AE ESTSP
P059 AEFAUP
P060 Tuna Feminina do ISCAP
P061 AE Lusófona Porto
P062 Torre do tombo’14
P063 #Tasco Moqueres
P04 Temos fígados potentes
P065 ISEP_Informatica
P066 Barak Abana
P067 TAISEP
P068 A TUA MÃE
P069 Endireita-te
P070 Enjoy it
P071 AE ESAD
P072 TasC.O.N.A
P073 jBardinagem
P074 Barraca 77
P075 Já lá foste?
P076 Bio Tem Mel – Biomedicas
P077 EICOMAndante
P078 Para-ce-ta-mol
P079 Gaiola das Popozudas
P080 Barnaldo
P081 Camarote AE FCUP
P082 Barraquinha de Txabes
P083 HeisenBeer
P084 ISPONJAS
P085 Barraca KATespero
P086 XARAM
P087 Taskuscopus
P088 Los mariachi
P089 Poker’Alho
P090 Tia Analberta
P091 Calor da Noite
P092 A barraca do piu
P093 REP - #Somos Porto
P094 SUPERCOCK
P095 Foodeat à VIP
P096 À PATRÃO
P097 Mec Donald’s
P098 DRUNK STORY 4
P099 Afoga o ganso
P100 DEJAVU

Bilhetes

Logo bilheteiraonline.pt

Regras de Aquisição de Bilhetes
Guia para Compra de Bilhetes Online

Regras de Aquisição

  1. Os preços apresentados incluem IVA à taxa legal de 13%;
  2. Os INGRESSOS SEMANAIS apenas podem ser adquiridos e utilizados por estudantes do ensino superior, estando apenas disponível a sua venda nos postos de venda presenciais (FAP; El Corte Inglês; Queimódromo; Campus S. João);
  3. Cada estudante pode comprar até um ingresso semanal. Para o efeito, tem de apresentar no momento da compra o seu próprio cartão de estudante, ou certificado de matrícula atualizado, acompanhado de documento de identificação (bilhete de identidade, cartão de cidadão, passaporte ou carta de condução);
  4. Os postos de venda presenciais não garantem troco de notas de 100€, 200€ e 500€. Só são aceites pagamentos em dinheiro (numerário), cheque visado, ou através de cartão de débito (TPA);
  5. A compra de ingressos diários não está limitada a qualquer número de bilhetes, estando apenas condicionada pela lotação máxima do recinto;
  6. Pode ser recusado o acesso ao Queimódromo a pessoas não estudantes que apresentem ingresso semanal;
  7. Se no final de um dia apenas restarem 2500 ingressos diários, ou 1000 ingressos Semanais, essa informação estará disponível em www.fap.pt;
  8. Em caso de irregularidades com o ingresso, deve-se dirigir à bilheteira do Queimódromo, fazendo-se acompanhar obrigatoriamente pelo comprovativo de compra;
  9. A FAP – Federação Académica do Porto, dispõe de Livro de Reclamações, disponível na sua sede, sita na Rua do Campo Alegre, 627, no Porto, salvo período de 03 a 12 de maio, que estará disponível no Queimódromo, sito na Estrada Interior da Circunvalação, s/n no Porto. São também aceites reclamações por correio eletrónico, que devem ser envaidas para geral@fap.pt;
  10. Cada bilhete é valido como recibo nos termos da legislação aplicável em vigor. Quem desejar emissão da fatura personalizada deve informar o operador de caixa antes da transação e fornecer os seus dados (nome completo, numero de identificação fiscal, morada completa), de forma que a fatura seja emitida no momento de aquisição. Salvo casos excecionais, devidamente comunicados e fundamentados ao próprio, a fatura é emitida na hora ou enviada para o endereço de e-mail. Em caso de dúvida justificada, a FAP reserva-se o direito de solicitar apresentação dos ingressos ou ingresso semanal com os números apresentados para entrega da fatura em causa;
  11. A compra de ingressos online tem um custo de operação que acresce ao valor do ingresso. Valor disponível nas condições gerais de venda em www.bilheteiraonline.pt;
  12. As condições gerais e informações sobre a recolha e tratamento de dados e políticas de Privacidade & Segurança da venda online estão disponíveis em www.bilheteiraonline.pt ;
  13. Mais informações em www.fap.pt ou através de geral@fap.pt.
×
Bilhetes 2014

História

A história da Queima das Fitas no Porto não é muito mais recente que a de Coimbra (que teve início em 1919) pois já em 1920, os finalistas de Medicina da Universidade do Porto faziam a então chamada "Festa da Pasta", que é considerada a origem da Queima das Fitas do Porto.

A "Festa da Pasta" era um evento com um grande espírito académico e que comemorava a passagem da pasta dos estudantes que estavam a terminar o seu curso, os quintanistas, aos que entravam na recta final, os quartanistas. Juntamente com a passagem da pasta era imposto o grelo aos quartanistas. Ao longo dos anos a "Festa da Pasta" foi-se difundindo pelas diversas faculdades da Universidade do Porto, sendo que cada faculdade tinha a sua própria festa. As diversas "Festa da Pasta" realizaram-se ininterruptamente até 1943, ano a partir do qual passou a haver uma só para todas as faculdades.

Nesse mesmo ano de 1943, começou-se a usar o nome de Queima das Fitas, paralelamente ao de "Festa da Pasta", tendo-se realizado no ano seguinte, em 1944, ainda integrado nestas comemorações, a primeira Missa da Benção das Pastas, na Igreja dos Clérigos.

Em 1945, a expressão "Festa da Pasta" é abandonada totalmente e é a partir desta data que passa a existir a "Queima das Fitas do Porto", que resulta da já explicada evolução da "Festa da Pasta". Até 1971, de uma forma natural, a "Queima das Fitas do Porto" vai evoluindo. Em Coimbra a Queima realiza-se até em 1968, desaparecendo em 1969 no seguimento de todas as convulsões políticas de então. No Porto, a Queima das Fitas só se deixa de realizar a partir de 1971.

Em 1978 a Queima das Fitas ressurge no Porto, com a designação de Mini-Queima e consistiu num cortejo, o que gerou alguma polémica e contestação em vários quadrantes da sociedade por considerarem que esta era uma iniciativa reaccionária. No ano seguinte, em 1979, foi feita uma tentativa mais alargada de organização da Queima das Fitas, tendo havido duas comissões organizadoras. No entanto, só uma delas teve sucesso. A partir daí a Queima das Fitas do Porto começou a tomar os moldes que actualmente conhecemos, com inúmeras actividades desde a Serenata, ao Cortejo, passando pelas Noites, concerto Promenade, Festival Ibérico de Tunas Académicas, Sarau Cultural, etc. Quanto às noites da Queima, passaram a ser no Palácio de Cristal, passando em 1998, e até aos dias de hoje, para o recinto da Antiga Feira Popular do Porto, junto ao Parque da Cidade e ao Edifício Transparente. Esta evolução ao longo dos últimos 20 anos fez com que a Queima das Fitas deixasse de ser uma festa restrita aos estudantes para passar a ser o maior evento da cidade do Porto e a maior festa Académica do País.

Actualmente, a Queima das Fitas é organizada pela Federação Académica do Porto (FAP), e movimenta cerca de 350 000 pessoas, números estes só possíveis de atingir dada a diversidade de eventos produzidos, sendo prioridade da FAP não só na quantidade de eventos mas sobretudo a qualidade dos mesmos, havendo um esforço para proporcionar bons espectáculos, a preços muito acessíveis, a todos os estudantes. Assim sendo, podemos afirmar que este evento é como que uma retribuição à cidade do Porto e à Região por tudo aquilo que proporciona aos estudantes da Academia, nas suas mais variadas vertentes. Além disso, o ambiente académico vivido na semana da Queima é marca fundamental para o percurso de qualquer estudante da Academia do Porto.

Arquivo 2005, 2006, 2007, 2008, 2009, 2010, 2011, 2012 e 2013.